A Renault anunciou a demissão de 747 colaboradores. Com isso, os funcionários das quatro fábricas da Renault em São José dos Pinhais (PR)

A Renault anunciou a demissão de 747 colaboradores. Com isso, os funcionários das quatro fábricas da Renault em São José dos Pinhais (PR) decidiram iniciar greve por tempo indeterminado, em assembleia realizada ontem pelo Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

As demissões aconteceram depois de os trabalhadores reprovarem, na sexta passada, proposta de PDV (Plano de Demissões Voluntárias) apresentada pela Renault para o desligamento de 800 pessoas da unidade paranaense. A unidade é responsável pela produção dos modelos Sandero, Stepway, Logan, Duster, Duster Oroch, Captur, Kwid e Master.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

O complexo industrial, que até então tinha cerca de 5,1 mil colaboradores envolvidos diretamente com a produção, de acordo com a Renault, também fabrica motores. Segundo o sindicato, a paralisação nas atividades será mantida “enquanto a empresa não voltar a negociar”.

“Queremos deixar nosso repúdio pela forma que esta empresa está agindo mesmo recebendo incentivos fiscais do governo do estado para gerar e também manter empregos. Infelizmente não é o que a direção atual desta planta está pensando”, afirma Sérgio Butka, presidente do sindicato.

A Renault confirmou as demissões, as quais a empresa considera necessárias diante da queda de 47% nas vendas da marca no primeiro semestre de 2020, impactadas pela pandemia do coronavírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here