O ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) afirmou que a tabela de frete “gerou insegurança e afastou trabalho”. De acordo com o executivo,

O ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) afirmou que a tabela de frete “gerou insegurança e afastou trabalho”. De acordo com o executivo, “existe uma parcela muito significativa dos caminhoneiros que é contra“. Vale ressaltar que, a medida foi uma das adotadas durante o governo Michel Temer para encerrar a greve da categoria em 2018.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

“Tabela de frete é uma coisa que, no final das contas, gerou uma insegurança jurídica no setor de transportes. As empresas, com medo da responsabilização, com medo de multas, elas acabaram adquirindo frotas e acabaram contratando frotistas. Por isso, a tabela afastou trabalho dos caminhoneiros”. As declarações do ministro ocorreram durante uma transmissão ao vivo realizada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quinta, 21.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

O presidente Bolsonaro não falou sobre o assunto em específico. Ambos, no entanto, comentaram medidas que estão sendo adotadas em prol da categoria, que ensaia uma greve em 1º de fevereiro. Tarcísio e Bolsonaro citaram a isenção do imposto de importação de pneus, a implantação de um documento de transporte eletrônico que reunirá de 15 a 20 registros e a redução da “norma de pedágio para onerar menos o caminhoneiro”. Além disso, o ministro disse ainda estar estudando o pedido do presidente para que motociclistas sejam isentos de pedágios.

Fonte: Poder 360

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here