A Volvo aproveitou a parada no Brasil da Volvo Ocean Race, a maior regata oceânica do mundo patrocinada pela marca, para promover um encontro com especialistas em inovação na área automotiva. O Seminário “Tendências Futuras e Inovação” reuniu o vice-presidente global da Volvo Trucks, Lars Terling; o diretor de planejamento estratégico de caminhões da Volvo Trucks na América Latina, Alan Holzmann e Massami Murakami, diretor de engenharia e suporte a vendas da Volvo CE Latin América.

Em sua apresentação, Lars destacou que os efeitos climáticos, o crescimento da população mundial e a demanda por mais segurança são fatores determinantes para todo o desenvolvimento tecnológico da indústria automotiva, especialmente em veículos comerciais. “As mudanças nos próximos dez anos serão muito rápidas que as ocorridas nos últimos 40 anos”, destaca o especialista, que aposta na tríade conectividade, automação e eletromobilidade como principais pontas-de-lança dessas inovações.

Em relação à conectividade, o executivo lembrou que já existem inúmeros sistemas que permitem fazer a gestão remota de frotas. Desde o rastreamento via satélite para segurança da carga dos caminhões até sofisticados sistemas capazes de interagir remotamente com os veículos. Dessa forma, os transportadores conseguem ter dados confiáveis para compartilhar com os embarcadores, assegurando grande produtividade logística.

Da mesma forma, já são uma realidade os sistemas baseados na telemática avançada, que monitoraram o desempenho de cada motorista e traçam indicadores para melhoria. Caso por exemplo do Volvo Dynafleet, que permite aos transportadores fazer análises comparativas e mapear oportunidades de melhoria para cada condutor de forma individualizada.

Condução autônoma

Outra inovação que caminha a passos largos são os veículos autônomos. Porém, de forma diferente dos automóveis, sua introdução se dará de forma gradativa em áreas confinadas, sem trânsito regular. “São operações de transporte muito repetitivas, em que a produtividade dos motoristas é constantemente desafiada por uma rotina extenuante”, observa Larns Terling, que cita as operações em minas (foto) e na agricultura como exemplos de condução autônoma já em testes.

O Seminário também destacou o avanço da eletromobilidade, aplicada aos veículos comerciais. Apesar dos motores à diesel continuarem em franco desenvolvimento e ainda representarem uma parcela importante do mercado mundial, é certo também que a eletrificação dos caminhões, ônibus e equipamentos de construção prossegue em rápida ascensão. Como acontece na Europa onde a Volvo acaba de apresentar seu novo caminhão elétrico para entregas urbanas. Projetado especialmente para operações noturnas, o novo FL Electric é extremamente silencioso e eficiente, podendo rodar até 300 km com uma única recarga. Outro bom exemplo é a sólida presença em ônibus híbridos e elétricos. Desde 2010, a marca já entregou mais de 4.000 veículos deste tipo para diversas cidades de países como Inglaterra, Suécia, Noruega, Brasil, Colômbia e outros.

 

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here