Disposta a avançar no segmento de mercado que mais cresce no Brasil em tempos de pandemia – o de caminhões pesados -

Disposta a avançar no segmento de mercado que mais cresce no Brasil em tempos de pandemia – o de caminhões pesados –  a Volkswagen decidiu resgatar a velha máxima “Menos você não quer, mais você não precisa” criada pela própria empresa em 2002 no lançamento do Titan Tractor. A montadora repetiu a estratégia do passado, na forma da nova família de caminhões pesados da marca, que chega agora ao mercado ostentando características bem distintas dos demais concorrentes e com grandes chances de sucesso.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Ao invés de investir em novos aperfeiçoamentos na sua linha premium – os MAN TGX –  para competir em igualdade de condições com os modelos topo de linha do mercado, a empresa optou por agregar melhorias na linha Constellation, de concepção mais simples e portanto de preço mais acessível. “Os novos extrapesados Volkswagen chegam com a missão de ocupar um novo nicho de mercado, existente entre os veículos de entrada no segmento e os modelos premium”, observa Ricardo Alouche, vice-presidente de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

A nova família é composta de três modelos, batizados de Meteor 29.520 6×4, Meteor 28.460 6×2 e Constellation 33.460 6×4. Equipados com um novo motor MAN D26 de 13 litros, desenvolvido e produzido no Brasil e com 460cv e 520cv de potência, eles chegam com a disposição de oferecer uma melhor relação custo-benefício nas operações rodoviárias e fora-de-estrada, em relação aos modelos de potência similar.

Todos trazem a nova transmissão automatizada Traxon, disponível das versões de 12 e 16 velocidades. Além de eixos trativos de alta eficiência, com uma ampla gama de relações de transmissão, para operar nos mais diversos terrenos. O conjunto trator conta ainda com sistema inteligente que possibilita o gerenciamento das condições do motor e transmissão, incluindo o aproveitamento da inércia do veículo de acordo com a topografia e a carga. Essa combinação de fatores resultou em ganhos no consumo de combustível, estimado em 10% pelo fabricante. Outra novidade incorporada à família é a oferta de uma ampla gama de recursos de conectivividade, desenvolvidos pela plataforma RIO, braço digital da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Novo visual

Os novos modelos VW Meteor ganharam uma nova roupagem, com uma frente inteiramente redesenhada que reproduz as linhas do novo Delivery. Segundo o fabricante, o interior ganhou uma nova cobertura de material composto, no lugar das partes metálicas e uma nova combinação de materiais de acabamento. O volante é multifuncional, com ajustes de altura e profundidade. O painel de instrumentos, por sua vez, é de fácil acesso e concebido no conceito modular, que possibilita provisionar até 50 chaves de acordo com a configuração do modelo, além de organizar dispositivos como rádio, multimídia, tacógrafo e outros equipamentos. A área de descanso possui uma cama grande e compartimento multifuncional, além de um refrigerador opcional. O ar condicionado é acionado por controle remoto e toda iluminação é de LED.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Até chegar ao resultado final, os caminhões VW Meteor foram submetidas a uma bateria exaustiva de testes de campo, em parcerias com clientes na rota da soja, na região central do Brasil, além de incontáveis horas e quilômetros na pista de provas da montadora, em Resende (RJ).

A montadora oferece condições especiais na pré-venda do lançamento, na forma de uma garantia de dois anos sem limite de quilometragem, além de mão-de-obra gratuita nas duas primeiras revisões. As primeiras 300 unidades serão contempladas com um plano de manutenção grátis por três anos. O preço sugerido é de R$ 540 mil para o modelo VW Constellation 33.460 6×4; R$ 550 mil para o VW Meteor 28.460 6×2 e R$ 590 mil para o VW Meteor 29.520 6×4.

Diante desse cenário de pandemia, o presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus, Roberto Cortes, preferiu não fazer qualquer projeção sobre a expectativa de vendas para os novos modelos. Mas, aposta em uma tendência de recuperação do mercado brasileiro de caminhões para o semestre em curso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here