De acordo com a associação das montadoras, a Anfavea, nesta sexta-feira (6), a produção de veículos no Brasil teve queda de 20,8% em fevereiro

A FENABRAVE – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores divulgou o número de emplacamentos neste primeiro semestre de 2020, e os resultados mostram uma queda de 36,13% em relação ao mesmo período do ano passado. No entanto, o mês de junho teve quase o dobro das vendas em relação a maio.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

De acordo com a entidade,  foram vendidos 194.354 veículos em junho/2020, contra 100.422 unidades em maio. Assim, registrando um aumento de 93,5%. Entretanto, se comparados aos resultados de junho de 2019, os emplacamentos de junho de 2020 ficaram 38,58% abaixo das 316.453 unidades, comercializadas no ano passado.

No acumulado do 1º. Semestre/2020, foram emplacados 1.225.663 veículos, entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, o que representa queda de 36,13%, na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram emplacadas 1.918.977 unidades.

Segundo o Presidente da FENABRAVE, Alarico Assumpção Jr, a pandemia do Coronavírus, iniciada na segunda quinzena de março, impactou, negativamente, no balanço do 1º. Semestre do setor.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

“A queda já era esperada, em função do atual cenário, considerando os efeitos da pandemia do Covid-19, que obrigou o fechamento do comércio e o isolamento social, durante longo período. No entanto, quando avaliamos o mês de junho, na comparação com maio deste ano, já observamos uma expressiva melhora. Explicada pelo retorno das atividades dos DETRAN´s, principalmente, em São Paulo, que representou 32,1% das vendas nacionais, e da reabertura das Concessionárias, para vendas, na Capital Paulista e em outras localidades”.

Todos os segmentos automotivos apresentaram recuperação em junho sobre maio deste ano, embora a queda acumulada também seja geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here