O comércio brasileiro voltou a crescer em setembro. No entanto, desacelerou em comparação ao ritmo demonstrado nos quatro meses anteriores.
Aliss035:Minas Shopping50 22/01/16 CREDITO:ALISSON J. SILVA

O comércio brasileiro voltou a crescer em setembro. No entanto, desacelerou em comparação ao ritmo demonstrado nos quatro meses anteriores. Com isso, fechou com alta de 0,6% em comparação com agosto, de acordo com informações desta quinta-feira (11) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Em julho, o volume de vendas do varejo já havia atingido o maior patamar da série histórica da pesquisa. Além disso, havia apontado recuperação das perdas com a pandemia.

O crescimento registrado vem perdendo força, com redução no crescimento nos meses anteriores, com registros de 12,2% em maio, 8,7% em junho, 4,7% em julho e 3,1% em agosto.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

O indicador vem sinalizando a retomada das vendas com o fim do isolamento social. O auxílio emergencial de R$ 600 no período é apontado como fator de impulsionamento das vendas no varejo no período, mas a partir de setembro o benefício caiu pela metade.

Na comparação com setembro de 2019, o comércio cresceu 7,3%. No acumulado do ano, o varejo registra estabilidade (0,0%), após seis meses no campo negativo. Já o acumulado nos últimos 12 meses aumentou 0,9%, de acordo com dados divulgados pelo IBGE.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here