O setor de transporte de cargas e logística no Espírito Santo registrou queda de 50% na movimentação durante a pandemia do novo coronavírus. A

O setor de transporte de cargas e logística no Espírito Santo registrou queda de 50% na movimentação durante a pandemia do novo coronavírus. A demanda por transporte rodoviário de cargas é medida toda semana desde março, início da pandemia. Segundo a Associação Nacional do setor, no começo a queda foi de mais de 50%, e nas últimas três semanas tem oscilado na casa dos 40%.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

A última medição divulgada há 15 dias registrou uma movimentação 41,2% menor. O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Estado (Transcares), Marcos Furtunato, afirma que o percentual também se aplica ao Espírito Santo. Segundo ele, entre outras medidas, o setor teve que demitir cerca de 25% dos funcionários. “As empresas tiveram que fazer uma adaptação da receita para o que ela consegue aferir, porque não há expectativas para o futuro”, explica.

Transportadoras relatam quedas maiores

O empresário Weverton Santana é dono de uma transportadora de cargas e observou, nos últimos dois meses, queda de mais de 70% na movimentação. “Nós tínhamos um volume aproximado de 400 viagem por mês, hoje o nosso número está muito abaixo. Nós estamos com 50 a 100 viagens nos últimos meses. Assim, temos clientes que faziam 10 a 20 cargas por mês e no último mês não realizaram nenhuma”, conta.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

O presidente da Associação de Transportadores de Contêineres do Espírito Santo, Wesley Proeschold, explica que o segmento tem sofrido altos e baixos durante a pandemia. “Nossos clientes importam e exportam mercadorias ao redor do mundo, principalmente, China, Estados Unidos, América do Sul e Europa, os países mais atingidos pela covid-19. Em março, a movimentação caiu 20%, em abril e maio caiu 50%., quando comparados com o mesmo mês do ano passado”, revela.

Fonte: Folha Vitória

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here