A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) publica nota de posicionamento contrário aos sucessivos aumentos no preço do diesel.

O transporte público da Região Metropolitana de Goiânia deve passar por mudanças estruturantes em breve. De acordo com autoridades da região, um estudo para um novo modelo de sistema já está em andamento e deverá ser apresentado á população em junho.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Dentro as principais mudanças estão o fim da tarifa única com o preço da passagem sendo calculado de maneira individual. Portanto, levando em consideração a quilometragem que o usuário percorrer, além da criação de um fundo que ajudará a custear as despesas do transporte coletivo.

De acordo com o prefeito Rogério Cruz (Republicanos), solucionar a questão do transporte coletivo é difícil, mas possível. Para isso serão necessárias mudanças estruturantes que já estão em análise.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

“Hoje o que eu não aceito é isso: um passageiro de Goiânia que vai do terminal Isidória para o centro da cidade pagar R$ 4,30, e o passageiro que sai do Padre Pelágio e vai lá para Inhumas e também pagar R$ 4,30. Então isso não é justificável. Para quem está indo pra Inhumas está ótimo, agora pra quem está em Goiânia não é justo”, diz ao analisar que esta deve ser a principal mudança no modelo vigente.

Outra ideia que Rogério pretende colocar em ação é a criação de um fundo que ajude a custear o transporte. A arrecadação será feita, por exemplo, por meio de parquímetros, os estacionamentos digitais.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here