A prática do e-commerce que já era muito comum em todo o mundo, ficou ainda mais popular durante a pandemia. Por isso, empresas tem trabalhado em maneiras de diminuir custos e prazo

O setor de logística e serviços de entrega foi responsável por criar quase 90 mil postos de trabalho no país em um ano. Dessa forma, se aproveitando do crescimento das vendas on-line e da disputa acirrada entre as grandes varejistas para oferecer menor prazo de entrega.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Assim, casos como o Mercado Livre, que anunciou segunda-feira a intenção de contratar 7.200 trabalhadores no país tem sido cada vez mais comuns. Magazine Luiza, Via (ex-Via Varejo) e Amazon devem intensificar a busca por profissionais. Em um ano, o segmento de serviços de entrega e logística criou mais de 88 mil postos de trabalho.

As vendas do e-commerce no Brasil bateram a marca dos R$ 87,4 bilhões em 2020, primeiro ano da pandemia. Portanto, uma alta de 41% em relação a 2019 e um recorde para o segmento, de acordo com levantamento da Ebit Nielsen.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Para lidar com atrasos registrados nos primeiros meses de quarentena, grandes varejistas passaram a fazer investimentos pesados na área, especialmente em mais centros de distribuição, tecnologia e pessoal.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here