Scania 25 P battery electric 4x2 temperature controlled transport

A Scania acaba de lançar na Europa, a sua primeira linha de caminhões elétricos. Assim, o evento marca um passo significativo no desenvolvimento da empresa. Nos próximos anos, o plano da montadora é continuar desenvolvendo veículos eletrificados para todas as aplicações, incluindo longa distância e para o segmento da construção.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

“É com muito orgulho que anunciamos o início do compromisso com eletrificação”, disse o Presidente e CEO Global da Scania, Henrik Henriksson. “Nos próximos anos, lançaremos produtos eletrificados anualmente para toda a nossa linha de veículos. Por isso, estamos reorganizando nossas unidades fabris. Em alguns anos, também teremos caminhões elétricos de longa distância, adaptados para carregamento rápido durante os períodos de descanso obrigatórios dos motoristas”, comentou Henriksson.

Scania 25 P battery electric 6×2 rear-steer general cargo transport

A eletrificação da frota de caminhões comerciais pesados é decisiva para atingir a meta do Acordo de Paris, que limita o aquecimento global a menos de 2°C. Os veículos elétricos serão, portanto, cada vez mais uma opção atraente para os clientes. A Scania irá, nos estágios iniciais, desenvolver e implementar caminhões híbridos e totalmente elétricos em parceria com seus clientes.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Os veículos movidos a combustíveis alternativos e eletrificados fazem parte da estratégia global de sustentabilidade da Scania, Além disso, são implementados nos mercados em que a marca atua conforme condições locais de infraestrutura e econômicas.

No Brasil, por enquanto, os caminhões movidos a gás natural e biometano são a melhor opção para clientes e embarcadores que estão empenhados na redução de emissão de gases do efeito estufa. Portanto, os veículos elétricos ainda não têm data para chegar ao mercado brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here