Eleita a melhor rodovia do País nos últimos sete anos pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) completa no domingo, 28 de outubro, 40 anos de sua inauguração. Construída pelo Dersa (Desenvolvimento Rodoviário), suas obras demoraram 26 meses.

Desde 1º de maio de 1998 a rodovia é administrada pela CCR AutoBan, que, nos últimos vinte anos, investiu cerca de R$ 3 bilhões em obras e melhorias. Atualmente, cerca de 500 mil viagens são realizadas diariamente na rodovia.

Dados técnicos da Rodovia dos Bandeirantes (SP348)

  •  159,7 quilômetros de extensão – km 13+360 ao km 173+032.
  •  Liga a Marginal Tietê, em São Paulo, à Via Anhanguera (SP-330), em Cordeirópolis.
  •  Rodovia Classe Zero (fechada) – oferecendo acesso apenas para rodovias.
  •  500 mil viagens/dia.
  •  Tráfego: 81% veículos de passeio; 19% veículos comerciais.
  •  Eleita nos últimos 7 anos de forma consecutiva (2012 a 2018) a melhor rodovia segundo a Confederação Nacional do Transporte (CNT).
  •  Rodovia dos Bandeirantes cruza 13 municípios: São Paulo, Caieiras, Cajamar, Franco da Rocha, Jundiaí, Vinhedo, Itupeva, Campinas, Hortolândia, Sumaré, Santa Bárbara D’Oeste, Limeira e Cordeirópolis.
  •  R$ 3 bilhões em investimentos realizados desde 1998 pela CCR AutoBAn.

 Curiosidades da Rodovia dos Bandeirantes (SP 348)

  • O nome da rodovia é uma homenagem aos Bandeirantes, desbravadores paulistas que durante o período colonial percorreram o interior do país em busca de índios e pedras preciosas
  • Até então chamada Via Norte, passou a ser denominada Rodovia dos Bandeirantes a partir da publicação do Decreto Lei nº 11.555, de 12 de maio de 1978, do Governador Paulo Egydio Martins
  • A cerimônia de inauguração da rodovia, em 28 de outubro de 1978, aconteceu em três pontos: no km 99+500, em Campinas, no km 48+200, em Jundiaí, e no km 14+500, em São Paulo
  • Em dezembro de 2001, a CCR AutoBAn entregou as obras do prolongamento da rodovia, com a construção de um trecho de 78 quilômetros entre Campinas e Cordeirópolis
  • Durante a inauguração do primeiro trecho do prolongamento, entre Campinas e Santa Bárbara d’Oeste, aconteceu a Maratona dos Bandeirantes, a primeira realizada em uma rodovia. Com transmissão ao vivo por emissora de TV, o evento contou com a participação de mais de dois mil atletas brasileiros e estrangeiros
  •  Com a inauguração do prolongamento da SP 348, que inicia na altura do km 95, o antigo traçado da Rodovia dos Bandeirantes até a Via Anhanguera, em Campinas, passou a se chamar SPI 102/330 – Rodovia Adalberto Panzan. A letra “I” do código após SP significa interligação, que é exatamente o papel da rodovia. A Rodovia Adalberto Panzan possui aproximadamente 7,4 km de extensão
  • Durante as obras de recuperação de pavimento, em 2012, entre São Paulo e Campinas, foram utilizados 500 mil pneus na composição do asfalto ecológico. O pavimento reduz o nível de ruído e aumenta a aderência dos veículos à rodovia
  • Ainda em relação ao pavimento da rodovia, outra inovação é a tecnologia conhecida como Mistura Asfáltica Morna (MAM), produzida em temperaturas até 40°C mais baixas, o que gera reduções importantes no consumo de energia e na emissão de poluentes em obras de pavimentação
  • Mais de 1 milhão de atendimentos de serviço de socorro mecânico prestados aos usuários na Rodovia dos Bandeirantes desde 2002

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here