O mercado de venda de caminhões segue agitado apesar da pandemia do novo coronavírus. De acordo com dados do Itaú Unibanco, o volume de financiamento d

O mercado brasileiro de veículos comerciais continua reagindo bem, frente à resistência provocada pela pandemia na recuperação da economia, como mostram dois indicadores recentes. Segundo o Renavam, os licenciamentos de caminhões acusaram uma evolução de 47,9% de janeiro a julho, enquanto os emplacamentos de comerciais leves mostraram um avanço de 72,6%, no comparativo com ano anterior. A forte recuperação desse mercado contrasta com as projeções de aumento do PIB para este ano, da ordem de 4,8%.

De outro lado, a forte procura por veículos comerciais para atender ao avanço do e-commerce no caso dos leves e do agronegócio nos pesados, associada à incapacidade das fábricas de suprir a demanda por falta de peças, vem gerando uma corrida às compras por veículos seminovos.

Em consequência do fato, os preços dos veículos com três anos de uso acusaram um índice médio de depreciação de 8,85% no período e, em muitos casos, até um valor superior ao do 0Km adquirido em 2018. É o que revela o estudo produzido por Frota&Cia, com base na Tabela Fipe, que resultou no ranking Campeão de Ranking 2021, que os leitores e internautas poderão conferir no portal da publicação.

O episódio revela que investir na compra de veículos comerciais é uma excelente opção no momento e uma certeza de retorno garantido, mesmo depois de anos de uso.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here