acordo de cooperação técnica com o Ministério da Infraestrutura. Assim, a ideia é desenvolver o projeto do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e).

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e entidades representativas da indústria, produtores de alimentos e de cargas assinaram acordo de cooperação técnica com o Ministério da Infraestrutura. Assim, a ideia é desenvolver o projeto do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e).

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Dessa forma, a implantação da ferramenta visa conter o excesso de burocracia na cadeia logística, especialmente no transporte de cargas. Além disso, diminuir os custos para o setor produtivo. Hoje, o transportador gasta, em média, seis horas por viagem em operações de fiscalização nas estradas.

De acordo com o vice-presidente da CNA e presidente da Comissão Nacional de Infraestrutura e Logística da entidade, Mário Antônio Pereira Borba, os procedimentos adotados oneram as operações de movimentação de produtos agropecuários e reduzem sua competitividade.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

“A CNA entende que o desenvolvimento do DT-e atende as demandas no setor. Em especial, o aprimoramento da operação do Transporte Rodoviário de Carga (TRC), que enfrenta excesso de burocracia, elevado custo de transação, demasiado transit time. Além disso, enfrenta a presença de intermediários na contratação dos serviços de transportes”.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here