De acordo com a 7ª pesquisa realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados (Abiclor) houve um aumento na média de idade dos

De acordo com a 7ª pesquisa realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados  (Abiclor) houve um aumento na média de idade dos motoristas que fazem o transporte de produtos do setor cloro-álcalis no Brasil. A média que era de 42 anos, passou para 46 anos.

Além disso, a pesquisa traça todo um perfil desses profissionais registrando por exemplo que a maioria tem carteira assinada, possui segundo grau completo e está dirigindo em torno de uma hora a menos por dia. Os dados foram colhidos entre maio e junho deste ano, com 409 motoristas de seis estados (São Paulo, Pernambuco, Bahia, Alagoas, Rio de Janeiro e Espírito Santo).

Realizada a cada quatro anos, a pesquisa mostra que os principais produtos transportados são soda cáustica líquida (51,2%), seguida de hipoclorito (23%) e ácido clorídrico (11,7%).

Esse aumento da idade dos motoristas significa maior retenção de profissionais por parte das empresas. Portanto, podemos concluir que estão sendo priorizados profissionais com experiência comprovada no transporte de produtos químicos. “Para a profissão, trata-se de um motorista jovem. No entanto, experiente e maduro o suficiente para desempenhar com segurança sua função”, afirma Nelson Felipe, da Abiclor.

Como reflexo da maior retenção, a rotatividade é baixa. Em média, os entrevistados trabalham há 5,6 anos na empresa, prazo maior do que os 4,6 anos registrados em 2011.  Esse é um aspecto positivo, pois  com mais tempo de casa as empresas têm condições de oferecer treinamento constante.

A pesquisa mostra que em média os profissionais tem 23 anos de habilitação e trabalham com transporte de químicos, em média, há 10,5 anos. Outra boa surpresa foi o grau de escolaridade, a maioria (50,4%) tem segundo grau completo.  Em relação a 2015, quando a maioria tinha primeiro grau completo, houve uma melhora no nível de escolaridade.

Idade média dos motoristas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here