Operadores Logísticos, juntamente com a Fundação Getúlio Vargas.

De acordo com pesquisa do Departamento de Custos Operacionais da NTC&Logística (DECOPE), o volume de cargas transportadas no país tem diminuído cada vez mais por causa do coronavírus. A entidade acompanha o setor através de dados diários das transportadoras nas últimas semanas.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Nos primeiros dias do acompanhamento, a pesquisa já apresentava uma queda geral de 26,14%. No entanto, os números foram aumentando ao passar dos dias, e nos primeiros 7 dias do levantamento não houve retração da demanda geral. Segundo os dados divulgados no último dia 31 março, o departamento apontou na variação da demanda geral uma queda de 26,90%, chegando a quase 1% a mais em relação à última comparação.

As informações divulgadas ontem, 7, revelam que o volume de cargas que deixaram de percorrer as estradas do país é de 38,69%. Portanto, se comparado com o da semana anterior, a diferença é de 11,79%. Assim, causando ainda mais preocupação em função da velocidade que aumentou entre as semanas. A carga fracionada chegou a 40,16%, e a lotação 39,24%.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Pior crise da vida

Segundo o presidente da NTC&Logística, Francisco Pelucio, “nos meus 78 anos de vida, nunca enfrentei uma crise como a que o mundo atravessa com essa pandemia. É uma situação difícil, porque precisamos nos isolar para viver e, ao mesmo tempo, ter recursos para sobreviver”.

Além disso, ele diz que todos os esforços estão sendo feitos para poder diminuir os impactos no setor. “Sabemos que é difícil não sermos atingidos por essa crise. Entretanto, temos que continuar, dentro das possibilidades, abastecendo o país. A NTC vem trabalhando em conjunto com todas as entidades parceiras para cobrar do governo medidas que ajudem o transporte de cargas neste momento, uma vez que o Brasil depende do nosso trabalho, e sempre o fizemos, independente das circunstâncias”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here