Na 22ª edição da Fenatran, a Scania, em parceria com a ZEG, apresentou o primeiro caminhão 100% movido a Biometano no Brasil.

Na 22ª edição da Fenatran, a Scania, em parceria com a ZEG, apresentou o primeiro caminhão 100% movido a Biometano no Brasil. Até o final de outubro, está prevista uma demostração que colocará o veículo em operação.

De acordo com Christopher Podgorski, Presidente e CEO da Scania Latin America, a parceria com a ZEG é fundamental para a montadora que quer liderar a transformação sustentável no setor de transporte. “Nosso propósito é liderar a transformação para um sistema de transporte sustentável. E não poderíamos fazer isso sozinhos – justamente o que mostra esta parceria, de um lado oferecemos a tecnologia e do outro a ZEG viabilizará a produção do combustível e o abastecimento”.

Ainda mais, confira tudo que está rolando na Fenatran com a nossa cobertura especial Focus On Fenatran

O projeto é inédito e a demonstração será em uma das usinas da São Martinho, um dos maiores grupos sucroalcooleiros do Brasil, utilizando o biometano da ZEG em um caminhão Scania. O modelo é um G 410 XT 6×4, o primeiro caminhão fora de estrada a ser movido a biometano na história do Brasil. “A nossa expectativa é contribuir com empresas de logística ou que possuem frotas próprias, para que viabilizem sua transição energética”, afirma Daniel Rossi, CEO da ZEG e sócio-fundador da Capitale Energia.

Vem mais por aí

De acordo com informações do executivo, a ZEG desenvolveu uma tecnologia de produção do combustível em estruturas de médio porte, com escala replicável. Portanto, a ideia é instalar plantas de produção no interior do Brasil. Atualmente, a oferta de gás natural é inexistente nessas regiões.

“Utilizando resíduos orgânicos conseguimos produzir um combustível de excelente qualidade. Com performance equivalente ao gás natural e com muitas vantagens ambientais, com redução de até 90% da emissão de gases do efeito estufa”, explica Rossi.

A aposta da Scania para a América Latina está nos veículos movidos com gás natural e/ou biometano. Por isso, a fabricante investiu no último ano, R$ 21 milhões para a industrialização dos novos veículos que passam a ser produzidos a partir do primeiro trimestre de 2020, na fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

“Globalmente, em 2018, vendemos 4.540 veículos comerciais com combustíveis alternativos e híbridos. Sabemos que a Europa está na frente, mas temos o mesmo propósito e vamos buscar parceiros que tenham como visão soluções que permitam transformar o combustível ‘alternativo’ no novo ‘normal’”, conta o Presidente da Scania Latin America. “A parceria com a ZEG é o exemplo de como é possível fechar essa equação. O papel dela é fundamental ao viabilizar o acesso a um gás renovável, ou seja, irá fornecer o combustível e entregar para nossos clientes a possibilidade de participarem da mudança para um sistema de transporte sustentável”, afirma Podgorski.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here