A emissão do Código Identificador de Transporte (Ciot) continua válida enquanto o Documento de Transporte Eletrônico (DT-e) não estiver ativo.

As paralisações dos caminhoneiros da semana passada, iniciadas após os atos bolsonaristas de 7 de Setembro, provocaram uma queda de 27% no movimento das rodovias federais, de acordo com a Veloe, unidade de negócios de mobilidade da Alelo.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Nas rodovias do estado de São Paulo, a queda foi de 17%, segundo levantamento da empresa de mobilidade e gestão de frotas. A pesquisa foi feita comparando o número de transações na média das últimas duas semanas, com base no movimento de pagamento automático nos pedágios, segundo a empresa.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Foram três dias de paralisações, sem apoio formal de entidades da categoria. Na sexta-feira (10), ainda havia caminhoneiros concentrados em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rondônia. No entanto, sem interrupção de trânsito.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here