O setor de papel e celulose vem ganhando mais relevância dentro da receita bruta da operadora logística JSL. No balanço financeiro relativo ao quarto trimestre de 2017, o segmento foi responsável por 15,6% do faturamento da companhia, que alcançou R$ 4,9 bilhões, um aumento de 3,6% em relação a 2016.

Segundo dados da Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), a produção brasileira de celulose subiu 3,8% no período, atingindo o volume recorde anual de 19,5 milhões de toneladas. As exportações da matéria-prima do papel subiram 2,3% e geraram uma receita de US$ 6,4 bilhões, alta de 14%. O papel apresentou aumento na produção de 1,4% em 2017 sobre 2016 – 10,5 milhões de toneladas produzidas. As exportações do produto encerraram o ano passado com ligeira alta de 0,5%, somando 2,11 milhões de toneladas.

“O setor de papel e celulose apresenta uma cadeia logística extensa, complexa e muito dinâmica. Desde a floresta, passando pelo processo produtivo, até o embarque do produto final nos portos, por exemplo, muitas variáveis podem surgir no percurso que impactam de forma direta nos serviços. Por isso, diariamente revisamos nossos planejamentos e tomamos decisões rápidas e efetivas para oferecer o melhor serviço ao cliente”, afirma Valmir Oliveira Filho, gerente de operações florestais da JSL.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here