A quantidade de multas aplicadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) cresceu 88% entre 2009 e 2019. Dessa forma, passando de cerca de 3 milhões

A quantidade de multas aplicadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) cresceu 88% entre 2009 e 2019. Dessa forma, passando de cerca de 3 milhões para mais de 5,7 milhões. No entanto, no mesmo período, a quantidade de acidentes com vítimas em rodovias federais teve redução de 8,4%.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

De acordo com o Boletim Economia em Foco, divulgado pela CNT em março deste ano, foi avaliado o impacto das condições da infraestrutura e da fiscalização da PRF sobre a ocorrência de acidentes em rodovias federais.

Segundo a CNT, a análise dos dados indica que ações que promovem uma cultura de maior responsabilidade na condução de veículos contribuem para reduzir as estatísticas de acidentalidade e de vítimas. Além disso, apesar de o incremento do número de multas ter elevado os recursos do Funset (Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito), o orçamento executado do Fundo se manteve bem abaixo do autorizado.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Outro fator ressaltado na pesquisa, é que os acidentes ocorridos em trechos rodoviários com sinalização péssima têm grau de severidade são duas vezes maior do que aqueles ocorridos nos trechos em que a sinalização é considerada ótima. Por isso, a fiscalização realizada pela Polícia Rodoviária Federal auxilia a mitigar esse tipo de problema.

Quando o informe foi publicado, a PRF ainda não havia divulgado o total de multas aplicadas em 2019. Assim, para fazer a análise, a CNT fez uma estimativa anual, com base nos dados então disponíveis (de janeiro a julho de 2019). Na ocasião, foi estimada a aplicação de 5,88 milhões de multas para os 12 meses do ano, 2,4% a mais do que o efetivamente realizado.

 

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here