NTC&Logística recomenda repasse do reajuste do diesel ao preço do frete

A entidade comunica aos transportadores a importância do repasse dos valores dos combustíveis ao preço do frete

A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) comunica aos transportadores o repasse do novo aumento do diesel

A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) comunica aos transportadores o repasse do novo aumento do diesel ao preço dos fretes. Com o novo reajuste, anunciado na última semana, de 14,26%, o acréscimo no valor do frete, emergencialmente, segundo a NTC, deverá ser de, no mínimo, 5,0%.

A entidade reforça que os aumentos consecutivos no valor do combustível “vem desafiando muito a rotina e manutenção das empresas transportadoras, quanto ao repasse desse custo para os embarcadores (clientes).” No acumulado do ano tivemos uma variação média de 28,93% na bomba e nos últimos 12 meses (jun-21 contra jul-22) uma média de 52,69%.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

De acordo com a NTC, ainda considerando os últimos 12 meses, os insumos do transporte rodoviário de cargas, vem sofrendo grande pressão. Os fornecedores das empresas de transporte estão ajustando os seus custos de produção e, consequentemente, repassando essas pressões para os transportadores.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

O cavalo mecânico, por exemplo teve seus preços reajustados em média 31,02%, semirreboque 32,55%, pneus 14,81% e por fim o acordo sindical da convenção coletiva dos trabalhadores do Transporte vêm fechando os acordos entre 10,0% a 12,47%.

“É imprescindível para manter a contento a saúde financeira das empresas transportadoras que sejam repassados de forma imediata o acumulado dos aumentos de combustível, até porque este é um custo relevante e que não há formas de reduzi-lo pelo lado do consumo (as que existem já foram adotadas). A NTC&Logística reitera a importância das empresas transportadoras negociarem a inclusão nos contratos antigos, e colocar nos novos contratos, um gatilho para os aumentos do diesel”, finaliza em nota.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu Nome aqui!