O Setcesp sediou na terça-feira (11) o último almoço do ano da diretoria plena, que encerrou também a primeira gestão de Tayguara Helou à frente da entidade. Para abrir o evento, o doutor em economia e professor e coordenador da pós-MBA em Inteligência Empresarial da FGV (Fundação Getúlio Vargas) Ronaldo Raemy Rangel, falou sobre o cenário econômico pós-eleições 2018 e as perspectivas para o transporte rodoviário de cargas em 2019.

Segundo ele, o cenário é otimista para 2019, com crescimento de 3,2% do PIB e inflação de 4%. “O setor de transporte de carga é o que a gente chama de viabilizador econômico, assim como tecnologia e outros setores. Nesse contexto, só em um cenário catastrófico o TRC não cresce nos próximos quatro anos, dado que todos os sinais indicam que deve haver um avanço da economia do país”, afirmou.

Outros aspectos sobre o setor também foram ressaltados pelo economista. “Eu gostaria de sugerir para que os senhores pensem em alguns pontos. Primeiro é a questão do novo Marco Regulatório, que não está totalmente concluído, mas que está em fase final e não deve alterar a lei da oferta e da demanda; outra coisa interessante a se pensar é a variável da perspectiva do contratante, estudando a sua demanda de frota terceirizada, por exemplo, entre outros pontos. E por último, sobre a lógica da mobilidade e as expectativas que são possíveis para formar preço. Acreditem, o novo governo está constituído por economistas liberais, ou seja, de mercado, por isso esses pontos merecem atenção”, concluiu.

Fonte: Setcesp

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here