Uma equipe do Ministério da Infraestrutura (Minfra) esteve no Porto de Paranaguá para conhecer parte da estrutura, a visita aconteceu na última terça (22).
Foto por: Portos e Navios

Uma equipe do Ministério da Infraestrutura (Minfra) esteve no Porto de Paranaguá para conhecer parte da estrutura, a visita aconteceu na última terça (22). A ideia foi analisar qual será o impacto e quais as melhores soluções que possam favorecer a malha ferroviária da cidade com a construção da Nova Ferroeste.

A equipe foi acompanhada por um grupo do governo estadual, liderado pelo secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex. E também, acompanhados por integrantes do Grupo de Trabalho do Plano Estadual Ferroviário.

A agenda incluiu visita ao Terminal de Contêineres do Paranaguá (TCP) e à administração geral da empresa pública Portos do Paraná. A equipe do Minfra foi recebida pelo diretor-presidente da Portos, Luiz Fernando Garcia, e pelo vice-diretor comercial da TCP, Tomas Lima.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Desse modo, eles avaliaram a estrutura e tomaram conhecimento dos planos de ampliação para receber o novo volume de cargas que será gerado pela construção de uma segunda ferrovia no estado. “O projeto da Nova Ferroeste é muito importante para melhoria de infraestrura ferroviária do Sul do País porque boa parte do escoamento de grãos do Centro-Sul do Brasil ainda é muito dependente do modal rodoviário”, disse o assessor especial do Ministério da Infraestrutura, Marcos Félix.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

O projeto da Nova Ferroeste prevê uma nova descida pela Serra do Mar, utilizando uma área de escape da BR-277. Além disso, na chegada a Paranaguá, a Rumo Logística, que detém a concessão do traçado atual, e a Nova Ferroeste compartilharão o trilho para acessar o Porto. Assim, a ideia é alinhar os dois traçados para otimizar a estrutura existente e minimizar o impacto gerado pelo aumento no volume de carga que virá do Mato Grosso do Sul e do Oeste do Paraná.

Fonte: Portos e Navios

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here