A fabricante Mercedes-Benz afirmou que não fechará a fábrica localizada em Juiz de Fora (MG). O pronunciamento ocorreu após a paralisação dos colaboradores na tarde desta segunda-feira (15). Dessa forma, durante a tarde, os trabalhadores foram convocados a se reunirem com vereadores locais para discutir a situação da unidade que, segundo os políticos, estaria sob risco de fechar as portas.

O encontro que foi realizado na Câmera Municipal foi organizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais. A principio, com intenção de esclarecer informações de que a fabrica estaria estudando transferir a operação para outro Estado. Assim, correndo risco de deixar mais de 1,1 mil trabalhadores desempregados.

“Resguardar empregos e a produção na cidade é muito importante”, disse Antônio Almas, prefeito de Juiz de Fora.

Entretanto, o  diretor de comunicação da Mercedes, Luis Carlos de Morais, negou o fechamento da fábrica mineira.

“Nós investimos R$ 700 milhões em Juiz de Fora e tivemos a maior crise econômica da história deste País”, justificou. Ele disse que a indústria de caminhões trabalha com ociosidade de 60% e citou as dificuldades de se produzir no Brasil. “Não é fácil, com tantos problemas, chegar na Alemanha e falar que queremos mais investimentos”.

Em nota, a empesa admitiu que há necessidade de ajustes na produção e processos logísticos. Assim também, lamentou a paralisação dos funcionários e argumentou que o mercado está retornando suas demandas.

“Estamos em um período em que o mercado de caminhões está retomando suas demandas e, com a paralisação, estamos deixando de produzir nossas cabinas de caminhões para atender nossos clientes.”

A empresa registrou alta de 61,7% no primeiro trimestre deste ano, comparado ao mesmo período de 2018.

Fonte: O Estado de S. Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here