O Índice de Confiança de Serviços, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 9,4 pontos em maio, para 60,5 pontos. Assim, mostrando uma

O Índice de Confiança de Serviços, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 9,4 pontos em maio, para 60,5 pontos. Assim, mostrando uma pequena recuperação após atingir em abril, o menor nível da série histórica iniciada em junho de 2008, como efeito negativo da pandemia do novo coronavírus.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Os dados divulgados nesta quinta-feira (28) apontam, porém que, apesar da alta, o índice recupera apenas 21,7% das perdas sofridas nos últimos dois meses.

A confiança no futuro, medida pelo Índice de Expectativas recuperou 32,5% da queda acumulada em fevereiro, março e abril ao subir 17,4 pontos. Entretanto, a confiança no momento presente, avaliada pelo Índice de Situação Atual, subiu apenas 1,5 ponto, após quatro quedas seguidas e continuou bem próximo do nível mínimo histórico registrado em abril.

De acordo com o economista da Fundação, Rodolpho Tobler, a melhora foi muito influenciada pela revisão das expectativas. Assim, sinalizando uma redução do pessimismo. Ele acredita que o resultado deve ser visto com cautela, porque ainda há um longo caminho até voltar ao patamar antes da covid 19.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

A pesquisa mostra, ainda, que em maio o setor de serviços profissionais recuperou 12,4% da queda acumulada entre janeiro e abril. Já o setor de serviços para as famílias compensou neste mês 18,4% da queda acumulada nos primeiros quatro meses do ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here