Ao todo, 850 km serão concedidos à iniciativa privada

Ao todo, 850 km serão concedidos à iniciativa privada

Sete grupos disputam nesta quarta-feira (27) a concessão de 850,9 quilômetros da BR-163 em Mato Grosso. O leilão está marcado para as 10h na BM&FBovespa, em São Paulo, e apontará quem vai explorar o trecho pelos próximos 30 anos. O trecho em MT da BR-163 é o segundo a ser leiloado pelo governo dentro do Plano de Investimento em Logística (PIL). O primeiro foi o trecho da BR-050 entre Goiás e Minas Gerais, no dia 18 de setembro, e teve o consórcio Planalto como vencedor. A BR-163 é o principal canal de escoamento da safra agrícola do estado e por onde passam 70% da produção regional de grãos.

Apenas na temporada 2012/13 foram cerca de 34 milhões de toneladas de soja e milho escoados pela rodovia, segundo cálculos do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).
O trecho que será concedido à iniciativa privada liga as regiões médio-norte ao sudeste do estado, até a divisa com Mato Grosso do Sul. Corta a maior zona produtora de grãos, passando por 19 municípios, entre eles Sorriso, capital brasileira do agronegócio e a maior produtora individual de soja do mundo. Quem vencer o leilão deve assumir as obras em uma estrada cuja infraestrutura já foi listada entre as 10 piores do Brasil, pela pesquisa Rodovias 2013 da Confederação Nacional do Transporte. A sinalização da via desagrada e é ruim. O estado geral, o pavimento e a geometria, por sua vez, são regulares. “Esta foi uma rodovia aberta ainda na década de 70, no governo militar, dentro do plano de integração nacional, quando o lema era ocupar para não entregar. Atendia apenas a necessidade da época”, diz Jorge Baldo, ex-presidente do extinto Movimento Pró-BR-163 de Mato Grosso.

Do total de 850,9 km do trecho, quase 720 km (718,8 km) são em pista simples; 18,2 km de pista dupla sem canteiro central; 95,7 km com pista dupla e com canteiro; e 44,8 km de vias marginais pavimentadas. O grande fluxo de veículos tornou a BR-163 também uma das mais perigosas do estado. É a segunda em número de acidentes e a primeira em mortes, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). “A rodovia está saturada por conta do grande fluxo de cargas, já que a produção de grãos do estado vai por ela para as demais regiões do país e o desenvolvimento da estrutura não acompanhou o crescimento da safra”, disse o policial rodoviário José Hélio Macedo

FONTE: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here