O volume de emplacamentos dos primeiros sete meses de 2019 equivale a dois terços do mesmo período de 2014, anterior a crise.

O volume de emplacamentos dos primeiros sete meses de 2019 equivale a dois terços do mesmo período de 2014, anterior a crise. Neste ínterim, foram emplacados 67,276 veículos. Por outro lado, em 2014 a essa altura do ano já eram registrados 91 mil unidades.

De acordo com Norberto Fabris, presidente da ANFIR – Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, a evolução será gradual.“O processo de reposição das perdas segue de forma gradual. No entanto, acreditamos que até o final do ano teremos superado o resultado de 2018 em 20%”.

Leia também: Venda de usados têm alta de 23% em julho

Portanto, estima-se que as vendas ao mercado interno deverão ficar entre 106 mil e 110 mil produtos. Já em 2014 o volume apurado chegou a 160 mil produtos. “Dessa forma, a proporção atual de recuperação de dois terços poderá se confirmar”, diz.

De janeiro a julho, praticamente todos os produtos de maior volume de vendas apresentam variação positiva de desempenho. No total, o segmento de Reboques e Semirreboques registra recuperação de 57% com 36.784 implementos rodoviários entregues. Ao mesmo tempo, o setor de Carroceria sobre chassis a variação positiva é de 31% com 30.492 emplacamentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here