A demanda por produtos químicos de uso industrial medida pelo consumo aparente nacional (CAN) teve recuo de 1,1%, em 2018, em relação ao ano anterior, segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira da Indústria Química – Abiquim.

O ano de 2018 foi significativamente afetado pelos resultados negativos dos últimos dois meses.  A menor atividade nos últimos dois meses do ano é explicada pela sazonalidade típica do período e também pela desaceleração econômica. No acumulado do quarto trimestre de 2018, sobre igual período do ano anterior, os volumes recuaram: o índice de produção foi 7,65% inferior, enquanto o de vendas internas teve desempenho 8,08% pior.

Segundo a diretora de Economia e Estatística da Abiquim, Fátima Giovanna Coviello Ferreira, a desaceleração econômica, as conturbações políticas, a greve dos caminhoneiros – que prejudicou a movimentação de cargas em maio-junho – a volatilidade do câmbio, especialmente no período pré-eleição, e as incertezas advindas desse cenário explicam o recuo da atividade no ano passado e interrompem um período de dois anos consecutivos de melhorias na demanda.

A executiva acredita que o setor deve retomar a trajetória de crescimento em 2019, mas aponta que para isso são necessárias medidas capazes de alterar os rumos da economia e colocar o País na rota de atratividade de investimentos mundiais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here