A Continental está aumentando o investimento e suas apostas em pneus produzidos a partir do látex extraído da planta dente-de-leão (Taraxagum).

A Continental está aumentando o investimento e suas apostas em pneus produzidos a partir do látex extraído da planta dente-de-leão (Taraxagum). Assim, essa é uma das iniciativas de sustentabilidade da Continental. Dessa forma, realizando todo o processo de pesquisa, desenvolvimento e fabricação ainda mais sustentável.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Para que os pneus do futuro sejam ainda mais eficientes energeticamente e amigáveis em relação ao meio ambiente em termos de produção, uso e reciclabilidade, a fabricante de pneus de tecnologia alemã vem investindo de forma sistemática em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias, materiais alternativos e processos produtivos compatíveis com ecossistema.

É o caso do bem-sucedido projeto Taraxagum, que utiliza o látex do dente-de-leão russo como alternativa à seiva da seringueira. Em 2018, resultado de um investimento de €35 milhões, a Continental Pneus inaugurou na Alemanha um laboratório exclusivo para pesquisas sobre a produção de borracha a partir dessa planta. A companhia já iniciou a fase de testes de pneus de passeio e de carga produzidos com essa nova matéria-prima.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Hoje, a borracha natural ainda é obtida quase exclusivamente da seringueira (hevea brasiliensis), que só pode ser cultivada em uma pequena fração da superfície terrestre. O ciclo de crescimento de uma seringueira é de, aproximadamente, sete anos antes de começar a produzir o látex que pode ser usado na produção de borracha. Já o dente-de-leão tem um período de crescimento de apenas um ano da semeação até a colheita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here