CNT lança informe sobre o transporte de carga excessiva

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) elaborou um informe para falar sobre o transporte excessivo de cargas. Assim, “As vantagens de transportar sem sobrecarga”, foi lançado nesta terça-feira (23). Primeiramente, o informe lista alguns benefícios para quem opera o transporte conforme a legislação. Por outro lado, mostra os prejuízos quando as regras são descumpridas, como o aumento do custo operacional e o risco de multas.

Muitas vezes, para amenizar os impactos negativos à receita e obter maior aproveitamento em cada viagem, alguns caminhoneiros e empresas levam cargas com peso acima do permitido. Mas, conforme o documento elaborado pela CNT, essa decisão danifica os veículos, aumenta o consumo de combustível e o risco de acidentes, interfere na qualidade das rodovias, gera problemas ambientais e ainda prejudica o mercado transportador.

A melhor distribuição das cargas gera uma concorrência mais justa, com valores de frete mais adequados. Atualmente, estão registrados, no Brasil, cerca de 1,9 milhão de veículos de transporte terrestre de cargas. Desse forma, 61,4% são de empresas; 37,3% são de transportadores autônomos e 1,3% de cooperativas.

Leia também: Ministro da Infraestrutura recebe presidente da CNT

Confira algumas dicas do CNT sobre o tema para o setor

Danos 

A sobrecarga leva ao desgaste precoce de peças e equipamentos, gerando um gasto adicional desnecessário. A suspensão do veículo, por exemplo, absorve os impactos no solo e garante a estabilidade do caminhão. Assim, com a sobrecarga, pode haver um desequilíbrio na distribuição das forças. Frequentemente ocasionando, um maior desgaste de amortecedores e molas, entre outros problemas no veículo.

Consumo de combustível

Para se deslocar com o excesso de peso e desenvolver a velocidade habitual, exige-se mais do motor. Logo, há um maior consumo de diesel. A princípio, é um item já pesa habitualmente no bolso do transportador, representando o maior custo do setor. Assim, respeitar a tonelagem correta significa mais economia.

Estradas

O excesso de peso compromete a durabilidade do pavimento das vias e danifica a estrutura de pontes e viadutos. Uma infraestrutura de má qualidade vai gerar aumento de custos operacionais ao setor transportador. Bem como, gerar mais riscos, lentidão no tráfego e desconfortos durante as viagens, além de poder causar danos à carga transportada. Em suma,  demora-se muito para se recuperar as estradas no Brasil. Dessa forma, ajudar a mantê-las é benéfico a todos.

Risco de Acidentes

Um veículo sobrecarregado tem mais chances de se envolver em acidentes, especialmente em situações de frenagens ou de mudanças bruscas de direção. Frequentemente, as ocorrências são mais graves e, consequentemente, aumentam as chances de tombamento. Essa situação pode piorar com o aumento da velocidade do veículo e ao percorrer curvas acentuadas. Sob o mesmo ponto de vista, viagens mais seguras dependem do transporte com o peso correto.

Não gera multas

O valor da multa aumenta quanto mais peso em excesso o veículo transportar. Juntamente com a autuação do motorista, quando o excesso de peso é constatado, o veículo fica retido e é necessário fazer o transbordo da carga. Logo, tudo isso gera prejuízos ao transportador.

Ajusta melhor o mercado

Transportar com a tonelagem correta permite uma concorrência mais justa. Afinal, quem transporta com sobrepeso retira carga que poderia ser movimentada em outro caminhão. Maior ociosidade tende a reduzir o valor do frete, prejudicando todo o setor.

 

Para saber mais, leia o informe completo da CNT, clicando aqui.

1 COMENTÁRIO

  1. […] A lei proíbe excesso de cargas e as empresas devem estar cientes disso. De acordo com Leandro Ferraz, a prática de carregar uma carga acima da permitida prejudica as condições mecânicas do veículo, além de danificar as estradas e até mesmo o tempo de viagem. Sem contar o risco para o motorista. Por isso, a CNT lançou uma cartilha sobre o excesso de cargas, que você pode ler aqui. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here