Número de empregos formais recua 0,5% em 2017, contra 4,6% do ano retrasado

Depois de acusar uma forte desaceleração que resultou no corte de mais de 200 mil postos de trabalho nos últimos três anos, o setor de transporte e logística começa a dar os primeiros sinais de recuperação. É o que revela um estudo elaborado pela CNT, com dados da RAIS e do Caged.

Segundo dados do Ministério do Trabalho, as empresas de transporte e logística encerraram o ano de 2017 com 2,15 milhões de postos de trabalho preenchidos, 0,5% menos que os 2,16 milhões do ano anterior, resultando na eliminação de 10.676 vagas. Apesar de negativo, o resultado é bem inferior ao do ano de 2016, quando foram cortados exatos 105.486 postos de trabalho.

De acordo com a CNT, as contratações já superam as demissões em alguns segmentos. Caso, por exemplo, de atividades auxiliares ao transporte, que registrou a criação líquida de 3.216 vagas em 2017, em serviços relacionados a carga e descarga, depósitos de mercadorias e operações de transporte multimodal.

A evolução das contratações e demissões no setor como um todo é fortemente impactada pelo desempenho do transporte rodoviário, que responde por cerca de 60% da matriz de transporte brasileira. Em 2017, as empresas do segmento fecharam 13.627 postos de trabalho, número bem inferior ao de 2016, quando foram cortadas 84.655 vagas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here