O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) quer agilidade para resolver a questão dos caminhoneiros e o MEI. Com isso, o presidente articula aprovação,

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) quer agilidade para resolver a questão dos caminhoneiros e o MEI. Com isso, o presidente articula aprovação, até sexta-feira (26), de um projeto de lei que transforma os profissionais em microempreendedores individuais, o MEI.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Essa é mais uma das ações que o presidente tem realizado buscando beneficiar a categoria, que recentemente ameaçou uma nova paralisação. Na semana passada, Bolsonaro anunciou a demissão do presidente da Petrobras por causa da alta do diesel e da gasolina.

Na manhã desta quinta-feira (25), Bolsonaro tomou café com o senador Jorginho Mello (PL-AC), um dos defensores da ideia. Ao deixar o Palácio da Alvorada, foi cumprimentar apoiadores. Logo no início da conversa, pediu para Mello anunciar a proposta do MEI.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

“Vamos aprovar essa semana, o presidente deu aval para nós, sobre o MEI caminhoneiro”, garantiu Mello, autor da proposta, aos militantes bolsonaristas. Segundo Mello, hoje, um profissional pode ser cadastrado como MEI apenas de se tiver faturamento anual de R$ 78 mil. Se a proposta for aprovada, isso passaria a R$ 300 mil. Eles pagariam apenas 11% de contribuição previdenciária sobre um salário mínimo, o que hoje significa R$ 121 por mês. “Vai ter o CNPJ, vão poder comprar pneus…”, enumerou o senador. “Não é um presente, é uma reivindicação de muitos anos dos caminhoneiros do Brasil, que tem 800 mil no Brasil”, continuou Mello.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here