De acordo com o Despacho complementar, as distribuidoras de combustíveis terão que informar o percentual de biodiesel utilizado.

A Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais) juntamente a Aprobio (Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil) contestaram, em nota, o posicionamento da Anfavea em relação ao aumento da mistura do biodiesel no diesel B10.

Na última sexta-feira (15), a representante das montadoras distribuiu nota à imprensa informando que entregou relatório ao governo em que não recomenda o aumento do biodiesel na mistura do diesel de 10% para 15%, sem antes a realização de testes mais aprofundados. Segundo a Anfavea os testes com B15 apontaram alguns riscos, como o aumento da emissão de Nox (óxidos de nitrogênio), do consumo de combustível e o desgaste dos componentes metálicos do motor, entre outros danos.

Leia também: MME quer discutir aumento do porcentual do biodiesel no diesel 

As associações em defesa da mistura se posicionaram dizendo que os estudos realizados até o momento com o B15 mostram que a maioria das fabricantes não registrou qualquer problema real no funcionamento dos veículos. “Foram observadas questões pontuais em alguns testes, restritos a poucas empresas”, explicaram.

As entidades também afirmaram que, até a adoção efetiva do B15 (mistura de 15%), há tempo suficiente para debater e fazer eventuais ajustes de modo a garantir a segurança do usuário.

Fonte: Terra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here