A Agrale, especialista na produção de chassis para micro-ônibus, desenvolveu, em parceria com a Itaipu Binacional, um miniônibus elétrico que passará a integrar a frota do projeto-piloto Curitiba Ecolétrico. Desenvolvido a partir do chassi Agrale MA 8.7 e carroceria Mascarello, o miniônibus será utilizado pela Guarda Municipal e pela Secretaria de Turismo.

O chassi de ônibus Agrale MA 8.7 Elétrico possui sistema de propulsão Siemens com dois motores elétricos de 67 kW, caixa somadora (caixa de engrenagens que une a força dos dois motores em uma única saída para o eixo cardan), dois inversores de frequência para gerenciamento dos motores elétricos e cinco baterias 100% recicláveis e com alta densidade energética (capacidade total de 105 kWh). Isso garante autonomia de até 150 quilômetros, com tempo para carregamento de oito horas.

Entre as inovações e diferenciais, o chassi Agrale MA 8.7 Elétrico conta com sistema de reaproveitamento de energia em frenagem (que transforma a energia cinética do veículo em energia elétrica para recarregar as baterias). Possui ainda motocompressor (compressor de ar movido por motor elétrico) para alimentar o sistema de freios pneumáticos, que é gerenciado eletronicamente de forma a preservar energia, e uma bomba hidráulica alimentada por motor elétrico para acionar o sistema de direção. Toda a integração do sistema elétrico (direção, freios e propulsão) é controlada por intermédio de uma EVCU (Eletronic Vehicle Control Unit).

Apesar de não ser incorporado à frota de transporte coletivo da capital, a utilização do miniônibus no projeto trará insumos importantes para o desenvolvimento tecnológico da plataforma, que tem como finalidade a interação entre os diferentes modais e o compartilhamento de veículos, entre outros benefícios.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here