Em agosto foram registrados R$ 629 bilhões em movimentação de cargas em todo o País. Assim, registrando uma pequena oscilação em relação a julho,
veiculos-carga

Em agosto foram registrados R$ 629 bilhões em movimentação de cargas em todo o País. Assim, registrando uma pequena oscilação em relação a julho, quando foram contabilizados R$ 633 bilhões, segundo a  AT&M Tecnologia, com base de dados formada por mais de 26 mil transportadoras e embarcadores. Além disso,  foram registrados 74 milhões de documentos que representam os transportes realizados no mês, sendo que em julho foram averbados 76 milhões.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Na comparação anual, também foi registrada uma pequena queda de 1,09%, o que demonstra na prática demanda igual a agosto de 2019, quando foram registrados R$ 687 bilhões. Esses indicadores são construídos a partir de notas fiscais e Conhecimentos de Transportes (CT-es) eletrônicos informados diariamente no momento do embarque pelo transportador. Portanto, revelam com exatidão os valores das cargas movimentadas no território nacional.  

Novas demandas

De acordo com sócio fundador da AT&M, Vagner Toledo, a pequena queda dos valores de cargas movimentadas demonstra uma demanda estável por transportes. Segundo ele, mesmo com a conquista de bons índices de vendas no período, muitas empresas encontraram dificuldades para o transporte de suas mercadorias, devido à greve dos Correios.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Ao mesmo tempo, a falta de embalagens e insumos em determinados períodos durante o mês de agosto também dificultaram a entrega de mercadorias. “Desde o início da pandemia, muitas empresas precisaram reestruturar processos para um novo comportamento do consumidor, principalmente em relação ao e-commerce e delivery que demandaram por exemplo, um consumo muito expressivo por embalagens e outras matérias-primas, mas não existem possibilidades de desabastecimento ou falta de produtos, sendo que diversos setores da economia já mostram sinais de forte retomada e otimismo, finaliza Vagner Toledo.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here