De acordo com o presidente da Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores), Wallace Landim, conhecido como Chorão,

De acordo com o presidente da Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores), Wallace Landim, conhecido como Chorão, o aumento na tabela de fretes é insuficiente. Além disso, o líder da categoria afirmou que mantém diálogos com representantes sobre a possibilidade de paralisação em 1º de fevereiro. Assim, a associação deve ter uma posição definida na sexta-feira (22).

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

“Colocaram só em 2,51% de reajuste, isso é brincar com a categoria, é chamar a gente de palhaço”, disse. “A gente queria saber onde que a ANTT arrumou esse cálculo de 2,51%; não fizeram a pesquisa no mercado para saber quanto está o preço do pneu, dos insumos para o caminhão.”

A ANTT publicou no DOU (Diário Oficial da União) desta terça-feira uma nova tabela com preços mínimos de frete rodoviário. De acordo com a agência reguladora, as alterações vão resultar em um aumento médio que varia de 2,34% a 2,51%, conforme o tipo de carga e operação. Segundo a ANTT, o reajuste considera o IPCA inflação oficial do País, e a atualização do preço do diesel.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

Portanto, até sexta-feira, 22, Landim continuará se reunindo com representantes dos caminhoneiros autônomos nos Estados para ouvir a categoria. “Os que eu conversei, principalmente no Rio Grande do Sul, Minas Gerais, no Nordeste, estão bem inclinados (à paralisação). E realmente não tem mais condições, a categoria está sofrendo demais. A gente precisa trazer essa resposta o mais rápido possível”, disse. “A única coisa que a gente quer é que se cumpram as leis que a gente já conquistou.”

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here