A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) divulgou hoje um levantamento de ocorrências de roubos de carga no Brasil.

A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) divulgou hoje um levantamento de ocorrências de roubos de carga no Brasil. O relatório aponta 14.159 ocorrências em 2020, esse número tem como base fontes formais e informais.

Em 2020, houve uma queda de 23% nesses dados com relação a 2019, ano em que o registro foi de 18.382 casos. Ainda assim, continua a ser um cenário preocupante. Os prejuízos computados somam R$ 1,2 bilhão.

LEIA MAIS: Acompanhe o impacto da pandemia de coronavírus no transporte rodoviário de cargas e passageiros

Segundo o assessor de segurança da entidade e responsável pelo levantamento, Coronel Paulo Roberto de Souza, a redução tem a ver com investimentos das empresas em segurança. Isso possibilita uma rápida resposta às tentativas de delito. A redução também se deve ao trabalho dos órgão de segurança pública, que têm atuado com mais rigor em casos de roubo de cargas.

Ainda mais, fique por dentro das notícias através das nossas redes sociais: Instagram e Twitter 

“Desde 2017 onde tivemos o maior número de ocorrências desde que nossa área de segurança vem monitorando, estamos acompanhando uma redução, e isso é positivo, mas mesmo assim estamos falando de milhares de roubos em todo o Brasil, e a NTC, juntamente com os órgãos públicos e privados vão continuar trabalhando para que esses crimes não aconteçam mais”, afirma o presidente da entidade, Francisco Pelucio.

Somente 81,33% dos casos de roubos de carga ocorreram na região Sudeste e essa continua sendo a mais afetada. Em seguida, aparece a região Sul, com 8,89%; Nordeste, com 6,66%; Centro-Oeste, com 1,91%; e Norte, com 1,21%.

Os produtos mais visados são de gênero alimentício, cigarros, eletroeletrônicos, combustíveis, bebidas, artigos farmacêuticos, autopeças, defensivos agrícolas e têxteis.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here