De acordo com estimativa de Wolnei Capoli, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares de Uberaba e Região (Sintect-URA), os correios perderam 28 mil funcionários em oito anos

De acordo com estimativa de Wolnei Capoli, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares de Uberaba e Região (Sintect-URA), os correios perderam 28 mil funcionários em oito anos. Em entrevista a Rádio JM, Capoli atribuiu à diminuição do operacional as grandes dificuldades da estatal.

“Nós estamos falando desde de 2011 que os Correios vêm perdendo, de forma paulatina, quantidade enorme de trabalhadores. Para se ter uma ideia, os Correios tinham 128 mil trabalhadores, hoje são aproximadamente 100 mil”.

Segundo Capoli, o número de reduzido de profissionais compromete diretamente na entrega de correspondências. Dessa forma, a companhia estariam oferecendo um serviço longe do ideal. “Os Correios adotaram o sistema de Distribuição Domiciliária Alternada (DDA). Por isso, o carteiro passa na sua rua hoje e não passa amanhã, devido a essa metodologia”.

Ainda de acordo com o presidente sindical, o volume de cargas é crescente, em razão das compras pela internet. “Nós faturamos R$20 bilhões, repassamos dinheiro para o governo federal. Então, o governo deveria repor os trabalhadores ao invés de privatizar”.

Vale ressaltar, que o Ministro Paulo Guedes já confirmou a privatização dos Correios. Entretanto, o processo ainda deve demorar em virtude do trâmite ter de passar pela Câmara dos Deputados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here