A Scania vai começar a produzir caminhões movidos a biometano na fábrica de São Bernardo em Campo. Com isso, a montadora pretende

A Scania vai começar a produzir caminhões movidos a biometano na fábrica de São Bernardo em Campo. Com isso, a montadora pretende diminuir o número de veículos movidos a combustíveis fosseis. Para executar o projeto, a montadora sueca fez uma parceria com a ZEG, empresa dedicada à geração de energia renovável.

O metano é um biocombustível gasoso, obtido através do processamento do biogás. Segundo estimativa das duas empresas, os veículos serão 30% mais caros em razão da tecnologia aplicada. Por outro lado, os gastos de manutenção serão 10% menores. Portanto, quem comprar o caminhão deve ter o retorno do investimento em aproximadamente dois anos.

De acordo com Christopher Podgorski, a montadora desenvolve a ação como uma responsabilidade ambiental. “Temos a percepção de que, como uma empresa do setor de transporte, somos parte do problema de emissão de gases. Então, queremos também ser parte da solução”. Podgorski também garante o retorno financeiro com a opção ecológica. “Depois desse período de dois anos, onde se paga a diferença da compra, é só ganho. Além disso, a utilização de um caminhão com combustível renovável significa uma redução de até 90% da emissão de gases contribuintes para o efeito estufa”.

A produção dos caminhões movidos a biometano, é um investimento de R$ 21 milhões da montadora. Assim, fazendo parte do aporte de R$ 2,6 bilhões da marca investidos no Brasil entre 2017 e 2020.

A Scania não informou quantas unidades serão produzidas inicialmente. Entretanto, já adiantou que o plano é aumentar o volume aos poucos, conforme a demanda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here