Os representantes do TCR reuniram-se na tarde de ontem (11) com o Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, em Brasília. Participaram do encontro o presidente da NTC&Logística e da seção de cargas da CNT, José Hélio Fernandes, o presidente da CNT, Vander Costa, o presidente da NTU, Eurico Garlhardi e o presidente da FETRAMAZ, Irani Bertolini.

O roubo de cargas no setor rodoviário e aquaviário, seguido de suas graves consequências para os respectivos segmentos, foi um dos assuntos tratados na reunião. Além disso, foi sugerido como a ferramenta de combate a este delito, restabelecer o Comitê Gestor da Política Nacional de Repressão ao Furto de Veículos e Cargas, criado em 2015.

De acordo com o José Hélio, esses e outros dois artigos (3º, 4º e 5º) foram vetados no Projeto de Lei nº 13.804/2019, que dispõe sobre medidas de prevenção e repressão ao contrabando, ao descaminho, ao furto, ao roubo e à receptação de cargas em todo o país. “O roubo de carga só existe porque muitas empresas fazem a receptação. Ninguém rouba carga sem ter destino certo”, afirma José. “O cancelamento do CNPJ dificultaria a atuação de empresas recptoras”, conclui.

O diretor geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, o diretor geral da Polícia Rodoviária Federal, Adriano Furtado, e o chefe de gabinete da CNT, Guilherme Sampaio também estiveram presentes na reunião.

Fonte: CNT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here