De acordo com o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), uma espécie de prévia do PIB, divulgado pelo Banco Central hoje, 12, a economia registrou uma queda de 0,13%

De acordo com o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), uma espécie de prévia do PIB, divulgado pelo Banco Central hoje, 12, a economia registrou uma queda de 0,13%. Dessa forma, o resultado confirmaria a chamada ‘recessão técnica’. Ou seja, o PIB apresentou queda em dois trimestres seguidos.

Anteriormente, o PIB teve queda de 0,2% no primeiro trimestre de 2019, contemplado pelos meses de janeiro a março. A previsão de novo recuo já era esperada pelos economistas. Tendo em vista os resultados de queda para o setores de serviço (0,6%) e produção industrial (0,7%). Além disso, as vendas no comércio caíram 0,3% no período.

O Governo aposta suas fichas para aquecer a economia na liberação do FGTS. Segundo estimativa do Instituto Fiscal Independente (IFI), se todos os recursos forem sacados o impacto sobre o PIB seria de 0,26% em 2019 e de 0,59% para 2020. Ou seja, a injeção do dinheiro resultaria em um crescimento de 0,85% do PIB em dois anos.

Confira nossa página especial sobre Economia

Além disso, outro fator que de acordo com os analistas pode ajudar o cenário econômico, é a reforma da previdência. Segundo eles, caso a reforma seja aprovada nos próximos meses, haverá maior segurança para investidores, e consequentemente, maior geração de empregos.

O IBC-Br é uma das ferramentas usadas pelo BC para definir a taxa básica de juros do país. Além de servir como uma previsão ao PIB. No entanto, nem sempre bate com os dados oficiais do Produto Interno Bruto. O IBGE, responsável pelo PIB, divulgará o resultado em 29 de agosto.

Fonte: G1

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here