Os ministros de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e da Economia, Paulo Guedes, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou que a Petrobras é que decide o reajuste do diesel. Nesta terça-feira (16), Guedes afirmou em coletiva de imprensa, após encontro com presidente, que não é o governo o responsável pelo aumento do combustível.

“É ela (Petrobras) que tem que decidir. É realmente independente para estabelecer o preço do combustível”, afirmou o ministro. Por outro lado, ele admitiu que a política de reajuste atual não é suficientemente transparente e que mudanças estão em estudo.

De acordo com o ministro, novas alternativas vem sendo avaliadas e se houvesse uma alta muito grande no preço dos combustíveis, poderia, por exemplo, reduzir impostos. “Isso tem um preço. Vai cortar de onde? Da saúde para dar o caminhoneiro?”, questionou.

Em seguida, Guedes disse considerar natural que Bolsonaro peça esclarecimentos para a estatal e que tem preocupações maiores do que só com o mercado. Segundo ele, o presidente questionou, em telefona a Castello Branco (presidente da Petrobras), se estavam “jogando diesel no seu chopp”. Afinal, a petroleira anunciou o reajuste do diesel no momento em que o governo estava completando 100 dias de gestão.

O ministro da Economia disse não saber se a Petrobras vai ou não manter o reajuste de 5,7% que seria dado semana passada. No entanto, procurada pelo jornal o Estado de S. Paulo, a petroleira não se manifestou.

Por fim, Guedes declarou que a estatal poderá fazer reajuste menores no diesel em intervalos mais curtos ou aumentar o preço de uma vez só.

Veja mais: Bolsonaro afirma que não vai interferir no reajuste do diesel.

Fonte: O Estado de S. Paulo.

 

 

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here