Os licenciamentos de caminhões no primeiro semestre do ano somaram 46,8 mil unidades, o que representa alta de 44,9% sobre os 32,3 mil emplacamentos registrados no mesmo período de 2018. Os dados foram divulgados pela Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores) nesta última terça-feira (2).

Somente no mês de junho, o mercado transportador absorveu 7,8 mil caminhões, crescimento de 36,2% em relação ao desempenho de junho de 2018, quando foram apurados 5,7 mil registros. Por outro lado, na comparação com maio, o resultado foi 15,1% menor, com 9,2 mil unidades vendidas.

De acordo com a Fenabrave, a queda verificada em junho pode ser atribuída ao menor número de dias úteis, a três menos em relação a maio, mas também certa hesitação do transportador. Para o vice-presidente da federação para segmento de veículos pesados, Sérgio Zonta, o mercado de caminhões, mesmo atrelado ao PIB, que vem caindo, manteve o ritmo de recuperação. “Contudo, no último mês, observamos algumas postergações de compra, por conta das incertezas políticas, o que gerou retração nas vendas mensais”, disse Zonta.

A Mercedes-Benz segue na liderança das vendas com 14,7 mil caminhões vendidos no período, o que representa 31,4% dos emplacamentos totais. Em seguida, ficou a Volkswagen Caminhões e Ônibus (23,3%), Volvo (15,2%), Scania (12,2%), Ford (9,2%), Iveco (3,6%), DAF (3%), MAN (1,6%), Hyundai (0,27%) e Agrale (0,05%).

O ritmo de recuperação também é notável no segmento de implementos rodoviários. Nos seis primeiros meses do ano, os fabricantes entregaram 30,8 mil equipamentos, alta de 58,8% na comparação com o volume negociados de um ano atrás, de 19,4 mil unidades.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here