O governo federal pediu novo prazo à Justiça no processo contra a suspensão de novos de radares nas rodovias federais

A justiça impediu nesta quarta-feira (10), em decisão provisoria, a retira de radares eletrônicos das rodovias federias e determinou que o governo renove por 60 dias contratos que estejam perto de expirar.

A decisão partiu da juizá Diana Wanderley, da 5ª Vara Federal em Brasília, que atendeu o pedido do senador Fabiano Contarato (Rede-ES). Pois, o senador movimentou uma ação popular depois que o presidente Jair Bolsonaro anunciou em março que acabaria com os radares.

Relembre: http://www.frotacia.com.br/bolsonaro-anula-a-instalacao-de-novos-radares/

Para a Juizá, é sadio e inerente à democracia que um governo revise programas de governos anteriores, desde que haja estudos técnicos para embasar as mudanças.

“A própria União (através do Ministério da Infraestrutura) e o DNIT proferiram nota de esclarecimento ao público reforçando a assertiva do viés subjetivo e ausência de prévios estudos técnicos, tanto que informa que suspendeu o programa [dos radares] por orientação do chefe do Poder Executivo, que irá realizar estudos e, só então, irá aguardar novas orientações do chefe do Poder Executivo quanto à nova política para o serviço público de segurança nas rodovias federais”, escreveu a juíza.

A magistrada também destacou a importância de uma trajetória a ser seguida para que decisões como a retirada de radares sejam tomadas.

“Deve-se, pois, primeiramente, realizar os estudos técnicos de forma isenta, fazer ponderações técnicas, para, só assim, traçar o planejamento, e ir, se for o caso, gradualmente substituindo a política anterior quando estiver efetivamente definida a nova política e em pleno exercício”, declarou.

A diminuição de acidentes e mortes no Brasil através dos mediadores de velocidades também foi destacado pela Juizá. Deste modo, foi fixado uma multa diária de R$ 50 mil por radar retirado de circulação ou desligado. Ela também marcou audiência com o DNIT e a União para o próximo dia 30.

Fonte: Folha de S. Paulo.

 

 

 

 

 

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here