A Mercedes-Benz do Brasil apresentou ontem (28/fev), para toda imprensa especializada, o resultado de R$ 100 milhões de investimentos, voltado para a implantação da Indústria 4.0 no país. É a nova linha de montagem de caminhões, localizada na planta de São Bernardo do Campo (SP), que incorpora importante avanços como a tecnologia digital, conectividade, dados na nuvem, Big Data e Internet das Coisas, entre outras inovações.

“Há pouco menos de um ano, inauguramos nesta planta a nova linha de montagem de caminhões, trazendo grande impacto para o setor de veículos comerciais no País, com a implantação pioneira e efetiva de conceitos da Indústria 4.0”, comenta Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina. “Agora, com a linha de cabinas, estamos dando mais um passo histórico e decisivo, que terá continuidade, porque iremos avançar para a produção de agregados, como motores, câmbios e eixos, e também de chassis de ônibus”.

Com efeito, a nova planta surpreende os visitantes à primeira vista. As cabinas se movimentam pela linha sobre plataformas guiadas automaticamente, batizadas de AGVs (Automatic Guided Vehicle), que operam através de sensores e otimizam o trabalho de montagem. Já o abastecimento de algumas peças, diretamente na estação de trabalho, é realizado por um veículo autônomo inteligente, ou AIV (Autonomous Intelligent Vehicle), que desvia de obstáculos e circula com desenvoltura por uma via paralela à linha. O mesmo se com um robô colaborativo, que atua na montagem da chave geral do caminhão e trabalha em total sintonia com os operadores, aliviando esforços em atividades repetitivas.

 

Conectividade

O diversificado universo de equipamentos, ferramentas e tecnologias de última geração está totalmente conectado na atual Linha de Cabinas. A tecnologia aplicada na linha permite disponibilizar dados em tempo real para diversas áreas da fábrica. Um App permite acompanhar 100% da produção pelo celular e de qualquer lugar. Essa ferramenta tem interface com a planta de Juiz de Fora (MG), em que ocorre a pintura das cabinas, e com diversas áreas de São Bernardo do Campo.

Por outro lado, os dados gerados por equipamentos como as apertadeiras eletrônicas, robôs e os AGVs são armazenados em um Data Lake e alimentam sistemas de inteligência artificial e Big Data. Utilizando recursos de Analytics, pode-se monitorar a qualidade de todos os produtos, detectar falhas e até fazer uma correlação com as informações de Vendas, flexibilizando o mix de produção.

 

Laboratório de testes

Em paralelo, a nova linha de cabinas 4.0 vem servindo de laboratório de desenvolvimento e teste de outras soluções avançadas. Os óculos de Realidade Aumentada, por exemplo, permitem visualizar imagens com parâmetros e informações dos sensores de um determinado equipamento ou do processo produtivo, em substituição aos antigos manuais de manufatura. O mesmo se dá com o Exoesqueleto, uma estrutura que veste o colaborador, com o objetivo de facilitar a realização de movimentos repetitivos. A iniciativa conta com o suporte técnico da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli-USP, que montou um laboratório dentro da própria empresa.

A nova linha de montagem de caminhões da Mercedes-Benz inicia uma nova era da interação entre homens e tecnologia, explica Carlos Santiago, vice-presidente de Operações da Mercedes-Benz. “Os colaboradores estão no seu comando na Indústria 4.0, assegurando altos padrões de qualidade, produtividade e flexibilidade para atendimento aos clientes”, assegura.

Com um novo ambiente de trabalho na produção de cabinas, a Mercedes-Benz projeta ganhos de 15% em eficiência e 20% em logística em relação a processos anteriores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here