Segundo estimativa do Conab, o Brasil fechou a safra 2018/19 de grãos e oleaginosas com uma produção recorde de 242,1 milhões de toneladas.

Segundo estimativa do Conab, o Brasil fechou a safra 2018/19 de grãos e oleaginosas com uma produção recorde de 242,1 milhões de toneladas. Grande parte deste resultado histórico aconteceu em razão do crescimento das colheitas de milho e algodão.

De acordo com os dados, a safra brasileira cresceu 6,4% ante a temporada passada, com colheitas históricas de algodão e milho. Por outro lado, a produção de soja, principal cultura do país, caiu ante o recorde de 2017/18.

Algodão e Milho

No caso do algodão, a pesquisa realizada pela estatal revelou um crescimento de 35,9% na produção. Assim, atingindo um volume estimado de 2,7 milhões de toneladas da pluma.

Segundo nota da Conab, diversos fatores contribuíram para o sucesso das plantações. “Entre os motivos estão a taxa de câmbio, a evolução dos preços e outros fatores. Assim, levaram os produtores a expandir a área plantada, principalmente nos Estados da Bahia e Mato Grosso. Com isso, a previsão de exportação da pluma também deverá superar a do ano passado em mais de 50%, alcançando pela primeira vez a marca de 1,5 milhão de toneladas”.

Já a colheita total de milho foi projetada em quase 100 milhões de toneladas, com aumento na segunda safra de 36,9%, para recorde de 73,8 milhões de toneladas. Dessa forma, o Brasil poderá exportar um recorde de 35 milhões de toneladas, ante cerca de 24 milhões na temporada passada. A Conab elevou em 500 mil toneladas sua projeção de embarques ante levantamento de agosto.

Soja e trigo

Por sua vez, a soja sofreu redução de 3,6% na colheita, atingindo 115 milhões de toneladas. Muito em razão dos problemas de seca no Paraná e Mato Grosso do Sul, principalmente. Ainda assim, foi a segunda maior safra da oleaginosa da história do Brasil.

A exportação de soja foi estimada em 70 milhões de toneladas, ante recorde de 83,3 milhões de toneladas no ano anterior.

A produção de trigo, em processo de colheita, foi estimada em 5,4 milhões de toneladas. Com isso, finalizando a safra praticamente estável ante a previsão de agosto e em relação à safra passada.

A Conab prevê importações de trigo pelo Brasil de 7,2 milhões de toneladas, estável ante agosto. Entretanto, um aumento na comparação com as 6,7 milhões de toneladas vistas em 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here